.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

3 de maio de 2016

Sul e Extremo-Sul lideram casos de estupro na Bahia; ONG também registrou casos de assédio em Biritinga-Ba

Um homem conhece uma mulher pela internet e, após algum tempo, se muda para a casa dela em Itamaraju, Extremo-Sul do estado. Lá, passa a morar com a mulher e suas duas filhas, de 15 e 8 anos. Seis meses depois, o padrasto é flagrado pela adolescente estuprando a irmã mais nova. A vizinha, ao ouvir o relato da adolescente, chama a polícia, que chega a tempo de prender o agressor em flagrante.
Cenas assim, ou parecidas com essa, se repetiram 517 vezes no ano passado nos 70 municípios do Sul e Extremo-Sul. As duas microrregiões sustentam os dois primeiros lugares num ranking nada animador: as áreas com maiores taxas de estupro da Bahia. Enquanto no Extremo-Sul ocorreram 27,1 casos para grupo de 100 mil habitantes, no Sul essa taxa foi de 21,8 em 2015.
As duas taxas superam em pelo menos três pontos a de Salvador, de 18,1, onde 531 estupros foram registrados de janeiro a dezembro do ano passado. Nas duas regiões, quem lidera a taxa de estupros é a pequena Pau Brasil, com 10 mil habitantes. Foram sete casos em 2015, ou seja, 64,1 de taxa.
Os dados dos crimes foram divulgados pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) e mostram que, a cada 100 mil habitantes do Sul e Extremo-Sul, juntos, 24 foram violentadas em 2015. Os 517 casos estão distribuídos nas 70 delegacias territoriais ou nas especializadas de atendimento à mulher. Embora nenhuma delas supere em números absolutos a capital, 30 municípios têm taxa de estupro maior do que a de Salvador.
NúmerosOs crimes de violência sexual fazem parte da realidade de quase todos os 417 municípios baianos. No ano passado, apenas 98 deles (23,5%) não tiveram nenhum caso levado às delegacias. Já entre os que registraram as maiores taxas, três estão no Sul e Extremo-Sul: Pau Brasil, em 4º lugar, com 64,19; Itanhém, em 7º, com 48,52; e Porto Seguro, em 9º, com 46,07.
Em números absolutos, metade dos dez municípios do interior com o maior volume de registros também está nas duas regiões: Ilhéus, em 2º lugar, com 76 estupros; Porto Seguro, em 3º, com 67; Teixeira de Freitas, em 5º, com 53; Itabuna, em 8º lugar, com 43; e Eunápolis, em 10º, com 37 casos. Na região, há Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deam) em Porto Seguro, Itabuna, Ilhéus e Teixeira de Freitas. E elas não registram casos das cidades vizinhas.
Em famíliaPara a delegada coordenadora da 23ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Eunápolis), Valéria Chaves, os números de estupros nas cidades cobertas pela Coorpin têm se mantido estável. Mas, para ela, o caso de Porto Seguro chama a atenção. “O que a gente constatou em Porto Seguro é que houve um aumento considerável. Geralmente, os agressores são familiares. E lá tem uma delegacia especializada, a gente tem como visualizar melhor”, disse a delegada, que coordena, de Eunápolis, o trabalho em oito delegacias da região. Apesar disso, o número de estupros em 2015 (67) em Porto Seguro – taxa de 46,07 por 100 mil – foi menor em relação a 2014, quando houve 88 casos e a taxa atingiu 31,88.
Não é o que acontece em Ilhéus. Lá, o número de registros aumentou em relação a 2014 – foram 76 em 2015, contra 66 antes. Titular da Deam de Ilhéus, Márcia Rezende diz perceber o aumento, mas não o considera expressivo. Lá, a Deam registra apenas casos da cidade. “Aqui, o abuso infantojuvenil, ou estupro de vulnerável, é maior que o estupro de mulheres. Ele predomina. E, na maioria das vezes, a gente consegue prender o agressor. Já fiz, inclusive, este ano, duas ou três prisões”, disse.
Segundo a delegada, cerca de 90% dos estupros de vulnerável (menos de 13 anos) acontecem em ambiente familiar. “Quando o abuso acontece com adolescente e criança, 90% é no seio familiar. É o pai, o irmão, o padrasto, o tio, é quem você nunca desconfia. Já o outro pode acontecer com qualquer pessoa”, ilustrou.
É o mesmo tipo de crime que aconteceu no último dia 15, em Itamaraju. E não foi o primeiro este ano. Segundo informações da delegacia local, apesar de ter sido preso em flagrante, o homem negou as acusações. A vítima, porém, contou a situação em detalhes.
Por quê?Embora as taxas de estupros nas duas regiões sejam as maiores do estado – e de o Centro-Sul ter registrado, em números absolutos (372), o segundo lugar, perdendo só para Salvador – especialistas e agentes de segurança não conseguem encontrar uma explicação. Para a delegada Márcia Rezende, a maioria dos casos lá não tem relação com turismo sexual. “Isso existe do Baixo-Sul pra cima. Aqui não tem, a taxa é mínima”, observou a delegada, que defende mais delegacias especializadas. “A violência contra a mulher, não só o estupro, está aumentando muito: o feminicídio, a violência doméstica, o estupro, as brigas de vizinhos com ataques às mulheres, isso tudo tem aumentado”, apontou.
Chega de Fiu Fiu: vítimas de assédio relatam situaçõesAlém dos registros de estupro nas delegacias territoriais, há mulheres que são vítimas de assédio e levam o caso a público através da internet. A campanha Chega de Fiu Fiu, da ONG Think Olga, é um dos espaços onde é possível relatar casos de abuso, de assédio sexual e até de ameaças de estupro. No espaço virtual, é possível indicar num mapa e relatar uma história, marcando-a por cidade.
No mapa da campanha, há relatos de assédio ocorridos, por exemplo, em cinco cidades do Sul e Extremo-Sul do estado: Ilhéus (4), Teixeira de Freitas (1), Eunápolis (1), Itabuna (4) e Wenceslau Guimarães (1). Em Salvador, há 69 denúncias, a maioria delas referente ao ano de 2014.
No total, foram feitas 107 denúncias de assédio na Bahia, entre o dia 22 de abril de 2014 e 11 de abril de 2016. Além dos 69 casos denunciados à Chega de Fiu Fiu em Salvador e nas microrregiões Sul e Extremo-Sul, houve casos em Amargosa, Biritinga, Cícero Dantas, Cruz das Almas, Feira de Santana, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Seabra, Simões Filho e Vitória da Conquista.
Ainda segundo informações do mapa de ocorrências, 44,8% dos assédios denunciados na Bahia ocorreram durante a tarde, 26,1% durante a manhã e 20,5% durante a noite – 8,6% das denúncias não informavam horário. O mapa aponta também que, em todo o Brasil, 48% dos assédios relatados são verbais e 68% deles acontecem durante o dia. Há, inclusive, uma lista com os termos usados de forma mais recorrente pelos agressores.
O CORREIO mantém uma parceria com a Think Olga desde a publicação da série especial O Silêncio das Inocentes. No site do CORREIO, é possível acessar o mapa e registrar denúncias por lá. Basta acessar o endereço eletrônico www.correio24horas.com.br/chegadefiufiu. As denúncias podem ser feitas de forma anônima.

2 de maio de 2016

Whatsapp recorre de decisão de juiz que bloqueou serviço no Brasil

Whatsapp recorre de decisão de juiz que bloqueou serviço no Brasil
Foto: Divulgação
Após decisão judicial que bloqueou o Whatsapp por 72h no Brasil, a empresa, através do escritório de advocacia Trench, Rossi & Watanabe, que o representa entrou com um mandado de segurança na Justiça pedindo a suspensão da medida. O WhatsApp sustenta que não dispõe das informações pedidas pela Vara Criminal de Lagarto e que o bloqueio do serviço afeta 100 milhões de brasileiros que usam o serviço (veja aqui). De acordo com o advogado Davi Tangerino, que assina o recurso junto com a sócia Marcela Trigo, a expectativa é que os serviços do WhatsApp sejam restabelecidos até a meia noite. Tangerino foi o responsável pelo mandado que derrubou a última decisão judicial que tirou do ar o serviço do WhatsApp.

Coité: Menina de 12 anos cria biblioteca para incentivar leitura em povoado



Uma menina de apenas 12 anos fez algo que muito adulto nem cogita criar. A pequena Maria Clara, de Conceição do Coité, região sisaleira, abriu uma biblioteca no povoado de Serrote. A ideia da menina, segundo o site Calila Notícias, partiu do interesse de incentivar a prática de leitura na localidade. 

Depois de enviar mensagens para colegas via WhatsApp, a iniciativa foi tomando corpo e logo apareceram parceiros da menina. A campanha da estudante da Escola Antonio Nunes Gordiano Filho começou na base de doações de livros. Assim, ela foi montando um acervo, que mistura livros didáticos, romances e clássicos da literatura brasileira. A biblioteca fica em um antigo posto telefônico às margens da BA 411. 

Atualmente, a biblioteca já fornece material para pesquisa de estudantes e faz empréstimo de livros. Além disso, o leitor novato que chega ao local não se embaraça para encontrar o que quer. Todos os livros são arrumados, com os empréstimos devidamente registrados. Na última terça-feira (26), Maria Clara visitou a biblioteca do Campus 1 da Uneb, em Salvador. 

Ainda segundo o site, a coordenadora do sistema de bibliotecas da universidade se emocionou com o exemplo da menina e se dispôs ajudar na ampliação da biblioteca idealizada pela garota. (Matéria publicada originalmente no site Calila Notícias)

Fonte Portal Cleriston Silva


30 de abril de 2016

A industria da miséria e as campanhas eleitoreiras

Por: Renilson Silva - Blog Biritinga Informa

A indústria da miséria é alimentada por diversos fatores. Os politiqueiros alimentam essa indústria para poder manter a população sob suas rédeas. Como um burro com tapa-olhos, o qual poderá ser manobrado conforme suas necessidade, ou melhor... conforme a necessidade de quem  o conduz. A ‘miséria produzida’ também é alimentada pela indiferença das entidades e instituições representativas, como associações, sindicatos, ONGs e igrejas. A maioria dessas entidades e instituições preferem o silêncio cômodo, ao barulho da inquietação diante de tanta desigualdade social. Os cristãos ou pseudocristãos ignoram a história de seu Mestre, ao contrapor a cultura, e pregar contra os padrões políticos, sociais e religiosos, sempre com a preocupação em atender as classes menos favorecidas da sociedade. 

Aqui em nosso município, observamos que há uma manutenção da miséria. Convém a burguesia que o proletariado sustente a base dessa pirâmide. O pobre, desassistido e desamparado, fica vulnerável ao jogo sujo dos períodos eleitorais. Em nenhum lugar do mundo alguém poderá encontrar tanto “sujeito bom” em um só período - ano de eleição. As épocas eleitorais é quando o pobre enfim terá valor. Somente nesse período de campanhas acirradas, é que se pode conseguir exames, cirurgias, prótese dentária, remédios, gasolina, dinheiro, e comida. Tudo de graça. E sem nenhuma graça, o eleitor assina a própria sentença de quatro anos de abandono, por ter trocado seu voto por tão pouco. 

O que mata, não é o político mesquinho que subtrai do pobre o seu futuro já tão incerto, é a indiferença daqueles que se propõe a cuidar do ófão e da viúva (fazendo uma referência Bíblica, ao cuidado para com os pobres e oprimidos). A igreja é chamada para ser sal e luz da terra, e porque não dizer ‘sal e luz da comunidade’?! Fazer a diferença é olhar para os desassistidos, e reivindicar a assistência inerente ao ser humano. Ao invés disso, ouvimos gemidos silenciosos da juventude que mergulha nas drogas e consequentemente na criminalidade, que gera um ciclo sem fim de violências e assaltos, e que por fim, rouba a paz do cidadão biritinguense. Estamos fechando os olhos para a corrupção. Estamos sendo covardes! 

Até quando a miséria e o descaso irá alimentar a politicagem, a corrupção e o enriquecimento ilícito, que quebra no nosso nariz, e ainda assim, fingimos que está tudo bem?! Até quando?!

29 de abril de 2016

Ex-vice da Caixa Econômica acusa Eduardo Cunha de ter recebido propina

Ex-vice da Caixa Econômica acusa Eduardo Cunha de ter recebido propina
Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Negociando uma delação premiada, ex-vice presidente da Caixa Econômica Federal Fábio Cleto confirmou pagamentos de propina ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), considerado seu padrinho político. Indicado ao cargo por Cunha, Cleto negociou uma delação com a Procuradoria-Geral da República (PGR) após ter sido alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal, em dezembro do ano passado. Caso seja confirmada a denúncia, será a sétima vez que Eduardo Cunha é citado em depoimentos da Lava Jato. Nessas denúncias preliminares, o ex-vice da Caixa confirmou que houve os pagamentos de propina a Cunha já relatados pelos delatores da Carioca Engenharia, Ricardo Pernambuco e Ricardo Pernambuco Júnior. De acordo com os delatores, o presidente da Câmara cobrou R$ 52 milhões de propina em troca da liberação de verbas do fundo de investimentos do FGTS para o projeto do Porto Maravilha, do qual a Carioca Engenharia obteve a concessão em consórcio com as construtoras OAS e Odebrecht. "O congressista [Cunha] tinha comprovada conexão com Fábio Cleto, então vice-presidente da instituição financeira federal e membro do conselho curador do FGTS", escreveu Janot em fevereiro, ao abrir um inquérito contra Cunha sobre o caso. Em eventual afastamento da presidente Dilma Rousseff, Cunha será o segundo na linha sucessória presidencial. O deputado já é alvo de duas denúncias da Lava Jato, nas quais foi acusado de recebimento de propina. "Não conhecemos a delação", afirmou a assessoria de Cunha, que já havia negado seu envolvimento com a Carioca Engenharia. 

MP-BA recomenda medidas para evitar maus tratos de animais em vaquejada em Serrinha

MP-BA recomenda medidas para evitar maus tratos de animais em vaquejada em Serrinha
Foto: Vaquejada Free Fotos
O Ministério Público da Bahia (MP-BA) recomendou que medidas sejam adotadas contra maus tratos de animais pelos representantes do Parque de Vaquejada Alto Sereno, no município de Serrinha, na região sisaleira. O MP-BA ainda recomenda medidas para evitar a poluição sonora e garantir a segurança dos vaqueiros e espectadores que estarão presentes no evento “Cavalgada e Vaquejada do Parque Alto Serreno 2016”, que começa nesta sexta-feira (29) e termina no domingo (1º). A Promotoria expediu a recomendação na quarta-feira (27) diante da rejeição dos organizadores do evento de reajustar obrigações de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2015 junto ao MP. O acordo foi proposto pela promotora de Justiça Letícia Baird, que abriu, em março do ano passado, inquérito civil para apurar supostas práticas de maus-tratos contra animais durante a realização das vaquejadas de Serrinha. Entre as medidas especificadas na recomendação estão à filmagem integral de todos os eventos com participação de animal, sobretudo das competições de vaquejada, com o envio de cópia ao MP até o próximo dia 1º de junho; impedir a utilização de esporas traumáticas, com rosetas cortantes, de “arreios de cara”, “taca” e/ou “chicote” e/ou rebenques, “breques” e/ou “cortadeiras”; não permitir a participação de bovinos lesionados; utilizar apenas bois sem chifres ou com chifres incapazes de machucar vaqueiros e outros animais; estabelecer como regra da competição a vedação do retorno do vaqueiro que praticar a “quebra do rabo do animal” e desclassificar a dupla de vaqueiros que utilize “taca”, “chicote” ou “rebenque”, independentemente de o animal ter saído ou não lesionado; prover médico-veterinário habilitado, devidamente autorizado pelo respectivo conselho profissional, junto a uma equipe com uma estrutura mínima de atendimento, para garantir a boa condição física e sanitária dos animais; impedir a venda e/ou consumo de bebidas em vasilhames de vidro; exigir no ato de inscrição do vaqueiro e de outros proprietários de animais a serem utilizados o preenchimento de ficha com dados da qualificação civil completa (nome, filiação, data e local de nascimento, números do RG e CPF), endereço completo, telefone, identificação e fotografia do veículo utilizado para transportar o animal e a discriminação de se é participante autônomo ou empregado.

Provocada por Randolfe, Janaina apoia impeachment de Michel Temer

Provocada por Randolfe, Janaina apoia impeachment de Michel Temer
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) esperou até 1h da manhã desta sexta-feira, 29, para poder pregar uma peça na autora do pedido de impeachment, Janaina Paschoal, na sessão dedicada a ouvir os denunciantes na comissão especial. Ele fez uma explanação apresentando a edição de decretos de créditos suplementares específicos e pediu, em seguida, a opinião de Janaína sobre esses documentos. A jurista defendeu que os créditos suplementares sem a autorização do Congresso Nacional configuram crime de responsabilidade e devem ser punidos com o impeachment. "Muito bem, fico feliz com sua opinião, porque a senhora acabou de concordar com o pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer", disse Randolfe. "Essas ações que eu li foram tomadas pelo vice". A professora ficou constrangida e tentou se explicar. Apenas algumas horas antes ela havia dito que não havia indícios suficientes para pedir o impeachment de Temer. "O Vice-presidente assina documentos por ausência do presidente, por delegação. Neste caso, não há o tripé de crimes continuados e intercalados entre si", tentou justificar. Já perto da meia-noite, quando a sessão já andava morna, a denunciante Janaina Paschoal se exaltou com o senador Telmário Mota (PDT-RR) depois que ele questionou se ela era advogada do procurador da República Douglas Kirchner, demitido pelo Conselho Nacional do Ministério Público por suspeita de agredir e torturar a esposa. "Não quero! Não vou admitir", gritou. Ela levou uma bronca do presidente da comissão, senador Raimundo Lira (PMDB-PB). "Por favor, vamos falar em um tom compatível com o ambiente em que nós estamos". Convidada ao lado do advogado Miguel Reale Jr. para detalhar o pedido de impeachment que tramita no Congresso, Janaína rebateu que "seu cliente nunca bateu na mulher" e que a autoria das agressões é de uma tia da vítima. "Tudo tem limite, meus clientes são sagrados", protestou, retirando-se da sala. O senador Telmário Mota treplicou que fez várias perguntas técnicas sobre o embasamento jurídico da denúncia contra Dilma e que a questão sobre o procurador era secundária. "Respondeu porque quis", alfinetou, recebendo críticas do líder do PSDB, senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). "Lamento essa intimidação. Querem transformar em ré a pessoa que acusa", afirmou o tucano. Janaína retornou à mesa e pediu desculpas ao presidente pelo comportamento. Antes de sair do plenário, Telmário Mota também pediu desculpas discretas à denunciante, que sorriu e seguiu ouvindo o orador seguinte, senador José Pimentel (PT-CE), líder do governo no Congresso. Quando chegou a vez de o senador Romário (PSB-RJ) falar, oito horas depois do início da sessão da comissão especial, o ex-jogador comparou Janaína Paschoal a si próprio. "Você me lembra muito um jogador que usava a camisa 11 no passado da Seleção Brasileira e que não se intimidava com tamanho do zagueiro. Era destemido e teve muito sucesso em sua carreira", disse, elogiando a advogada e, claro, a si próprio. Foi a primeira intervenção do senador na comissão, da qual é titular. Em sua fala, declarou-se favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. "Tomei essa decisão baseado na letra da Constituição Federal", afirmou, sustentando que Dilma abriu créditos suplementares sem autorização do Congresso Nacional. O ex-atleta continuou destacando "a coragem, a determinação e o conhecimento jurídico" de Janaina Paschoal. "Estou impressionado". A jurista respondeu: "O senhor se refere àquele atacante que ficava ali, na boca, só esperando para fazer o gol? Olha, e cada gol bonito... Não é rasgação de seda, mas não dá para esquecer. Independentemente de time ou de se declarar favorável ao meu pedido, parabenizo a Vossa Excelência pela carreira e também por ter entrado na política." Romário se despediu do plenário desejando bom dia aos companheiros, uma vez que já havia passado da meia-noite.

Trabalhadores realizam protesto na Avenida Paralela e trânsito está congestionado

Trabalhadores realizam protesto na Avenida Paralela e trânsito está congestionado
Foto: Leitor BN
Vigilantes terceirizados, do Grupo MAP, realizam um protesto na Avenida Paralela, no sentido aeroporto, na manhã desta sexta-feira (29). A manifestação, segundo a Transalvador, acontece por conta de demissões dos terceirizados pelo estado. O grupo caminha desde às 10h e segue em direção ao Centro Administrativo da Bahia (CAB), deixando apenas a pista da direita liberada. Por conta do protesto, o trânsito já está congestionado até a região do Shopping da Bahia. 

Bahia Notícias

26 de abril de 2016

Biritinguense e campeão de torneio de jiu jitsu em Salvador/BA

O policial militar Odiney Nascimento, 35 anos, que pertence ao 16 batalhão da policia militar de serrinha, foi campeão de um importante torneio de jiu-jitsu em Salvador/BA.  O mesmo busca ajuda pra seu projeto social que busca tira jovens adolescentes das drogas ,e busca apoio de empresários e políticos,

Fonte: http://blogreportejoeloliveira.blogspot.com.br/2016/04/policial-biritinguense-e-campeao-de.html?spref=fb